Habilitação · Minha adoção · Nossa história · Sem categoria

Cada dia mais… longe?

Quem é vivo sempre aparece, né? Logo aqui estou! rsrs Graças a Deus!

Gente, finalmente saiu a renovação da habilitação. Demorou quase um ano – imagino que a equipe da Vara não dê prioridade para renovação porque a gente não sai da fila pra renovar, é só um processo mais burocrático mesmo. Inclusive descobri que em muitos lugares do Brasil nem existe renovação de habilitação.

No dia 08 de Abril fomos lá na Vara buscar o certificado que dessa vez tem validade de 03 anos. Assistimos mais uma vez a palestra (junto com pessoas que estavam se habilitando), então não teve muita novidade, só as perguntas de sempre: quanto tempo demora, se o cadastro é nacional, esse tipo de coisa. Exceto por uma nova informação, que nos leva ao título desse texto: o tempo médio de espera para perfil similar ao meu aumentou de 2 a 3 anos para de 3 a 5 anos. É isso mesmo que você está lendo! 5 anos! O que aconteceu: em 2015 (que foi quando eu entrei com o processo de habilitação) a Vara se dividiu, mas uma Vara ficou com a maioria dos pretendentes (a minha!) e a outra ficou com a maioria das crianças, dessa forma a fila da minha Vara passou a andar mais devagar, aumentando o tempo médio de espera.

Aí eu fico pensando no meu mantra, que por tanto tempo achei genial, infalível: ” Cada dia mais perto.” O raciocínio era o seguinte, não importa o tempo que demore, cada dia que passa é um dia a menos de espera, logo a cada dia estarei mais perto do encontro. Mas a vida, senhoras e senhores, é imprevisível e é melhor a gente aceitar isso. A impressão que tenho agora é que está cada vez mais longe. Primeiro veio a doença deixar tudo de cabeça pra baixo, meus planos todos tiveram de ser repensados, adaptados, de alguma forma. E agora mais essa. Desde o começo do processo eu tenho a informação de que a espera média é de 2 a 3 anos e em 12 de abril fizemos 3 anos de habilitados. Pensei, agora vai! Vai ser só o tempo de fazer o transplante e me recuperar. Hahaha. Ledo engano.

Com isso, não sei mais se vou suspender a habilitação, porque se ainda tenho um, dois anos de espera pela frente (se não aumentar de novo) qual o sentido de suspender?

Bem , é isso.

Quanto ao transplante ainda estou sendo enrolada, mas sou a próxima da fila (foi o que me disseram). Continuo esperando. Sorte a minha que sou expert em esperar, né? rs.

Até mais, pessoal! Abraços para todos!

Cada dia mais perto?

Anúncios
Habilitação · Minha adoção · Nossa história · Sem categoria

Sobre a Renovação – Parte II

Oi, pessoas, tudo bom?

Finalmente consegui vir aqui contar as novidades da renovação da habilitação. No final de maio voltamos à Vara para dar entrada no processo. Além de entregar os documentos no cartório, também fomos conversar com a Assistente Social que acompanha nosso caso sobre a nossa situação.

A entrega dos documentos ocorreu tranquilamente. E então fomos conversar com a assistente social. Para nossa surpresa (e tristeza) era o último dia dela, ela se aposentou. É uma pena porque ela é uma profissional excelente e bem atenciosa.  Mas enfim, explicamos para ela o que havia acontecido e, primeiramente, ela perguntou se ainda queríamos adotar. Respondemos que sim. Então ela perguntou se nós achávamos que daríamos conta de receber uma criança agora. Meu coração apertou, mas a verdade é que não, não daríamos conta. Mal estou dando conta de mim, pra ser bem sincera. E foi essa nossa resposta: Não.

Então, como vamos proceder? Nosso processo vai ser desarquivado (como é de praxe nos casos de renovação), seremos chamados para novas entrevistas com assistente social e psicóloga e durante as entrevistas vamos contar mais uma vez o que está acontecendo, porque vai ser outro profissional. E então, vamos solicitar a suspensão da habilitação.

Como funciona a suspensão da habilitação? Basicamente a gente vai sair da fila temporariamente e depois quando estivermos prontos, a gente volta no mesmo “lugar” da fila. O interessante aqui é que a gente não vai pro final da fila e de certa maneira não perde tempo, porque a fila da adoção é formada com base no perfil escolhido, mas também considera a data do processo. E tendo o processo mais antigo, teremos prioridade. Deu pra entender?

A assistente social tranquilizou a gente, dizendo que isso é bem comum, afinal em dois anos de habilitação, muita coisa pode acontecer, casais se separam, tem outros filhos e pessoas, como eu, adoecem.

Quanto tempo dura a suspensão? Pelo tempo que a gente precisar. Mas caso passe de dois anos (Deus me livre) teremos que apresentar a documentação que possui validade novamente, ou seja, atestado médico e antecedentes criminais. E passar mais uma vez pelas entrevistas. Os mesmos procedimentos de uma renovação.

Nós não sabemos quanto tempo vamos ficar com a habilitação suspensa. O plano é voltar depois que eu tiver feito o transplante e me recuperado da cirurgia. Segundo o meu médico, não dá pra precisar quanto tempo vai durar a recuperação. É tudo muito incerto. Mas acho provável que demore mais um ano, pelo menos.

E como estou me sentindo com tudo isso? Na verdade, fiquei bastante aliviada de ter essa opção de suspender a habilitação, sem perder MUITO tempo. Tinha receio de ter de começar tudo de novo. Além disso, não tenho pensado tanto nisso, porque estou fazendo os exames do pré-transplante, fazendo o tratamento e lidando com os sintomas e com essa minha nova vida. E apesar dos medos e inseguranças, tenho fé de que nosso encontro vai acontecer. Não vou falar que não doeu quando a assistente social perguntou se caso tivesse uma criança para nós, se gostaríamos de receber a ligação e então negar ou se preferiríamos que já nos tirassem da fila. Preferimos sair da fila. Vai doer menos do que ter que dizer NÂO para uma criança. Mas dói mesmo assim.

Volto quando tiver novidades ( e disposição para escrever).

Até a próxima!

Cada dia mais perto.

Gestação do coração · Habilitação · Processo · Sem categoria

Sobre a Renovação – Parte I

Olá, pessoas!

Saudades daqui, saudades de falar com vocês!

Trago novidades. Boas, dessa vez.

Eu e meu marido finalmente fomos na Vara para dar entrada na renovação da habilitação. Não conseguimos. rs Vocês já sabem como é a burocracia, né?

Pegamos o formulário para fazer o pedido da renovação, mas também vai ser preciso apresentar novamente os atestados de saúde física e mental e as certidões negativas de antecedentes criminais. Aqui no Rio não servem aquelas disponíveis na internet, é preciso ir na Central de Distribuição Cível, pegar as 8 certidões. E elas demoram sete dias úteis para ficarem prontas.

Eu estava super ansiosa, mas acaba que já estamos no limite do prazo. A assistente social explicou que devemos entregar os documentos até o dia 19 de maio, quando terminam nossos dois anos de validade da habilitação, para que a gente permaneça inscrito no Cadastro. Mas o processo de entrevistas pode e deve acontecer depois. Por mim tudo bem porque eu já perdi a pressa. A gente deve voltar lá semana que vem ou quando as certidões ficarem prontas.

Agora minha preocupação é em relação ao atestado médico. Será que tenho saúde física? Será que algum médico vai querer atestar isso? E ainda, durante as entrevistas, será que a equipe da Vara vai me achar capaz de ser mãe nas condições atuais? Nem eu tenho certeza disso mais. Muitas dúvidas e medos habitam meu pensamento.

Logo eu que só tinha certezas, agora sou toda insegurança.

Mas o que tiver de ser, será. Está escrito!

Abraços e até mais!

Cada dia mais perto.

 

Gestação do coração · Nossa história · Sem categoria · Wesley

Carta para Wesley II – Me espera

Filhx,

já faz tempo que não te escrevo. É que você ficou mais distante. Na verdade, fui eu que me distanciei de você.

Às vezes a vida faz questão de nos mostrar que não temos controle de nada e que ninguém é feliz o tempo todo. Mas a vida também me mostrou que sou muito mais forte do que pensava e o meu desejo de ter você também é. Não, na verdade, eu me TORNEI muito mais forte e meu desejo de te encontrar também se fortaleceu. Porque hoje sou outra mulher. Talvez eu precisasse passar por tudo isso para me tornar uma mãe melhor para você. E se foi por isso, vai ter valido a pena.

Pensar que você vai estar me esperando quando isso passar é o que mais me motiva. Eu quero viver para te conhecer… e te ver crescer, se Deus permitir. Penso que isso só vai deixar nossa história mais bonita, nosso encontro mais valioso e minha vida, com mais sentido.

Mais do que nunca acredito em destino, em Deus.  Acredito que estamos destinados um ao outro. Então preciso que você aguente firme aí e vou aguentando aqui.

Eu não sei quanto tempo mais falta para a gente se encontrar, mas eu vou estar aqui te esperando. Por favor, filhx, me espera.

Cada dia mais perto.

Carta para Wesley – Enquanto você não vem

Oração para você

Gestação do coração · Habilitação · Processo · Sem categoria

Nova Lei

Oi, pessoas!

Provável, muito provável que todos já saibam disso. Mas me sinto na quase obrigação de vir aqui falar que o fora Temer assinou a lei 13 509 de 2017 que modifica o ECA no que se refere a adoção (rolaram uns vetinhos, mas tudo bem. rs). Quando a gente achava que 2017 não ia dar mais em nada, né?

Para ver na íntegra, leia aqui. 

De novidade boa o que tem?

  • Tem prazos bem definidos para que os processos andem e que as crianças passem o menor período possível sem convivência familiar (adotiva ou biológica, desde que saudável e feliz);
  • Essa lei também regulamenta alguns pontos do apadrinhamento afetivo;
  • E reforça que o bem-estar da criança é prioridade e responsabilidade do Estado e da sociedade.

Quanto aos prazos, achei ponto alto:

§ 10.  O prazo máximo para conclusão da ação de adoção será de 120 (cento e vinte) dias, prorrogável uma única vez por igual período, mediante decisão fundamentada da autoridade judiciária.

Mas tem muitas outras coisas boas.

 

E quem tem preguiça de ler lei, tem essa matéria da grande mídia! (E um monte de outras pela internet afora).

E agora o que falta?

Falta cumprir a lei! A prática tá distante da teoria, mas já é um começo, né? Tô otimista hoje! rs

A notícia é boa para gestantes do coração, mas é melhor ainda para as crianças do Brasil – como deve ser!

Até semana que vem!

Abraços!

Cada dia mais perto!

 

Habilitação

Mudar o perfil ?

Oi, pessoal!

Vocês sabem que eu já me dei por vencida , minha expectativa agora é com a renovação da habilitação.

Assim que nos habilitamos, eu e meu marido concordamos que caso fossemos mudar o perfil da criança, faríamos isso no momento da renovação.

E está se aproximando! Minha contagem regressiva está em 4 meses. Rs.

Vocês também sabem do nosso perfil, que é bastante restrito quanto a idade, o que em termos práticos significa que nossa vez vai demorar. (Com sorte e esperança, não muito além dos dois anos) .

Com tudo isso , chegou a hora de releftir sobre isso. Mas, por enquanto, a resposta ainda é não. Não pretendemos mudar o perfil.

Primeiramente porque ainda sinto a necessidade de ter um bebê, com tudo o que tem direito. Sonho em ver um berço no quartinho, mamadeiras espalhadas pela casa, trocas de fraldas , cheirinho de bebê. Pacote completo .

Em segundo lugar, ainda estamos dentro do tempo esperado para nosso perfil. Não está fora do normal. Claro que eu queria que chegasse agora, às vezes acho que já cheguei no meu limite. Mas a realidade é essa e não é nenhuma surpresa. Ninguém disse que ia ser rápido.

Sinceramente não sei o que vou pensar, se vou mudar de opinião se nada acontecer em um ano ou dois. Pra ser sincera não gosto nem de pensar na possibilidade de eu chegar no fim do próximo ano sem meu filho por aqui. Mas também não acho motivo suficiente, por enquanto, pelo menos, tomar essa decisão com base apenas no tempo de espera. Mas cada um sabe o que é melhor pra si.

Enfim esses são os principais motivos pelos quais decidimos manter o perfil escolhido, por ora.

Outra coisa boa que estou na expectativa é quando completar dois anos, ou quase, vou começar a planejar o quarto de verdade ! Começar a escolher as coisinhas… Mal posso esperar ! Mas isso é assunto pra outro dia.

Me digam o que vocês acham sobre mudança de perfil !

Abraços e até mais.

Cada dia mais perto.

Gestação do coração · Habilitação · Minha adoção · Nossa história · Sem categoria

Diário do Bebê (do coração)

Olá, pessoal!

Eu adoro guardar recordações, fazer diários, ter álbuns de foto (impressa mesmo!).  Eu tenho uma espécie de diário da habilitação, onde guardo datas, comprovantes, fotos e pensamentos desse processo. Falei um pouco dele aqui e também tem um post lá no Instagram do blog (@sobreadocao).

Seguindo essa tendência, tenho certeza que vou gostar de registrar o desenvolvimento do meu bebê e então comecei a procurar aqueles diários de bebê pra comprar logo. rs. Mas aí me dei conta que ia acabar deixando bastante coisa em branco. É bem pouco provável que eu saiba peso e tamanho ao nascer; talvez não saiba o dia do primeiro passo, entre outros marcos do desenvolvimento.

Então resolvi fazer um diário do bebê personalizado.

capa diário bebe

Decorei de elefantinho e coloquei os marcos da adoção. Por exemplo, além de colocar a data de nascimento, incluí a data do encontro. Também quero preencher com o tempo de espera e dia da conclusão da adoção.

diario bebe imagem

Quanto às primeiras vezes, coloquei de maneira que seja a primeira vez de tal conquista depois da chegada. Por exemplo, quem deu o primeiro banho, depois da adoção. Ou para onde foi o primeiro passeio em família.

Também deixei espaço para fotos e para escrever relatos!

Fiz de acordo com meu perfil , com o que achei adequado. Como disse, é bem provável que eu não tenha algumas informações, então as deixei de fora. Mas ainda não imprimi, pois tem algumas coisas que posso deixar ainda mais personalizadas depois que souber a idade.

Além de ter gostado bastante do resultado, também foi uma ótima atividade para passar o tempo, de maneira a me sentir próxima do meu/minha filho(a). É muito bom fazer as coisas para quem amamos!

Espero que tenham gostado!

Vejo vocês na próxima.

“Cada dia mais perto.”

Gestação do coração · Minha adoção · Nossa história · Processo · Sem categoria

Contagem regressiva para coisa nenhuma

Olá, pessoal.

Acho que me empolguei com o feriadão e tirei folga daqui também. rs. Mas, pronto, voltei.

Nada aconteceu. Mas com isso já acostumei. Esse mês completei 1 ano e meio de habilitada, ou seja, 1 ano e meio de nada acontecendo.

Eu não vou fazer a louca e dizer que sinto saudades do processo de habilitação. Não sinto, que fique claro. Mas pelo menos rolavam umas emoções, contagens regressivas, andamento de processo. Sou pessoa humilde e me contento com pouco.

Mas agora é isso. Marasmo absoluto. Com isso, acho que finalmente aceitei que antes dos dois anos, o nada vai continuar (não) acontecendo. Cansei! Perdi mesmo as esperanças de que meu filho (a) vá chegar nos próximos meses. Não tem mais palpitação quando o telefone toca, tenho certeza que não vai ser da Vara. Até os sonhos pararam de umas semanas pra cá. A ficha caiu, gente! Meu perfil vai demorar. Não vai ter exceção pra mim, os números não mentem, não é mesmo? “Aceita que dói menos” nunca fez tanto sentido na minha vida. É verdade! Tem doído menos, tenho pensado menos sobre isso.

Tudo bem que essa fase pode ser a calmaria que antecede a tempestade, que antecede a calmaria, que antecede a tempestade… Com isso, quero dizer que já passei por momentos tranquilos, zen e muitos outros de desespero, sofrimento e muito drama! E que semana que vem, o drama pode voltar! Não tenho compromisso com a estabilidade! rs

Mas o fato é que é a primeira vez que me sinto tão relaxada nos últimos 6 meses, pelo menos.

E por que essa tranquilidade, aceitação e maturidade agora? A resposta é bem menos sensata e madura do que a pergunta. Pra quem não sabe, a assistente social da Vara nos falou mais de uma vez (!) que nosso tempo de fila iria passar de dois anos por conta do nosso perfil. Não que eu não tenha acreditado nela, mas eu ficava pensando: “Vai que comigo é mais rápido? ” Demorei só um ano e meio para entender que NÃO é assim que funciona. Agora eu estou contando os dias (quase literalmente) para completar dois anos de fila, para aí então eu renovar minha habilitação e, assim, renovar minha espera, minha ansiedade, meu desespero, meu drama.

Na verdade, fomos orientados a dar entrada na renovação uns meses antes de acabar a validade da nossa habilitação. A nossa vai ser válida até maio/2018, então devemos dar entrada em março/2018 .

Então, ao invés de eu esperar pela filha(o), estou só esperando chegar a hora de renovar a habilitação. Vantagem: tem data certa para acontecer, ao contrário da chegada da criança que nunca saberemos. Desvantagem: depois que a contagem regressiva acabar, nada vai acontecer, de novo, pelo menos não imediatamente.

Viram como me contento com pouco?rs

Observação: Adicionei uma Contagem Regressiva neste blog para a gente acompanhar junto. Olhem aí na lateral, superior! rs

Sinalizem nos comentários se vocês acham que estou enlouquecendo, por favor. Obrigada.

Abraços e até breve.

Cada dia mais perto.” Da renovação!

cna · Processo · Sem categoria

Mudanças no CNA

Olá, pessoal!

Já tem um tempinho que o CNA ( Cadastro Nacional de Adoção) está sendo rediscutido – se é que ele já saiu de discussão.

Está rolando um Grupo de Trabalho na Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para fazer as reformulações. O objetivo principal é agilizar o encontro de pretendentes e crianças.

Pois bem, nos meus passeios pela internet, vi uma notícia interessante no Portal CNJ. Eu vou deixar o link com a notícia completa no final do post. Mas eu venho falar aqui das partes que mais me chamaram atenção. Uma reformulação em discussão é no funcionamento do sistema. A ideia é que, ao invés do sistema acusar se há pretendente ou criança no momento do cadastro, como acontece hoje, ele não vai parar e vai cruzar os dados cadastrados dos pretendentes e das crianças, de forma intermitente, e quando houver compatibilidade, enviará um e-mail, automaticamente, para o juiz responsável e também PARA O PRETENDENTE ! O objetivo é dar mais transparência ao processo.

Claro que para um bom funcionamento, o Cadastro tem que ser alimentado frequentemente, coisa que sabemos que não acontece, por diversos motivos.

A matéria também inclui a – eterna – polêmica da destituição do poder familiar. E, infelizmente, essa novela está longe do fim.  Segundo a reportagem, de um lado, tem quem defenda a agilização desse processo, de modo que as crianças fiquem o mínimo possível nos abrigos, de outro tem aqueles que acham que esse agilização pode significar a criminalização da miséria.

Acho que com esse trecho extraído de lá, dá para sentir que essa mudança não vai acontecer agora.

Para a juíza Sandra, muitas vezes essas crianças têm mães com problemas com drogas ou que estão no sistema prisional. “Como o problema com drogas está atualmente classificado com um problema de saúde, equivaleria a tirar uma criança de uma mãe que tem câncer, a sociedade não acharia razoável isso, mas vê com bons olhos retirar uma criança de uma usuária de drogas da forma mais rápida possível”, afirma Sandra.

Bem polêmico, né? Apesar de compreender isso, acho injusto que as crianças paguem o preço da doença dos pais. Uma pessoa com câncer, usando o exemplo da Juíza, embora possa ficar debilitada, não coloca a vida de seus filhos em risco, né? Para mim, criminalizar a miséria, seria tirar um filho de uma família só porque a pessoa é pobre. E a gente sabe que pessoas pobres também amam e cuidam de seus filhos, da maneira que é possível. Claro que essa discussão é mais complexa que isso, mas aí já é assunto para outro post, que eu vou fazer. Aguardem. rs.

E sim,  o CNA ainda tem muito a melhorar, mas aos poucos ele vai se adequando (embora tanto os pretendentes quanto, principalmente, as crianças tenham pressa!).

Link da notícia completa. Leiam na íntegra!

Até a próxima!

“Cada dia mais perto.”

Sem categoria

Bonança

Depois da tempestade, vem a bonança. Depois do rio de lamúrias da semana passada, vem a gratidão. rs.

Eu fiz esse blog para compartilhar experiências, ou seja, ajudar quem está passando ou vai passar pelo que passei e também o contrário, aprender com as experiência de outras pessoas. E tudo isso aconteceu. Mas foi além…

Sou muito grata por poder levar um pouco de conforto e um pouquinho de conhecimento para vocês e ainda mais grata por receber tudo isso, em cada comentário. Mas até semana passada eu não tinha me dado conta de uma outra coisa. De que eu também tenho o privilégio de poder comemorar cada conquista com vocês, cada etapa concluída dessa longa jornada. E espero poder acompanhar o “final feliz” de cada uma (um) de vocês.

E eu não imaginava que eu ficaria assim tão feliz, mas tem sido maravilhoso. Meu coração está cheio, pleno.

Obrigada por me permitirem fazer parte da felicidade de vocês. Muito grata.

E desculpem por mais uma semana sentimental, sem conteúdo. rsrs.

Até mais!

“Cada dia mais perto.”