Gestação do coração · Processo

A culpa não é nossa

Olá! Demorei, mas voltei! rsrs

Fiz uma micro viagem, por isso a demora.

Nenhuma grande novidade no processo… ele continua indo de um lado pro outro.

Vamos ao assunto. Esses dias eu li uma reportagem sobre uma iniciativa muito legal da 1 Vara daqui do Rio. Trata-se de um mutirão que aconteceu na semana do dia das mães, em que vários processos de adoção foram julgados com o intuito de acelerar os processos de adoção para que no dia das mães as adoções estivessem concluídas, com certidão de nascimento nova paras as crianças e tudo. No caso, o mutirão é para processos de adoção e não de habilitação. Segundo a reportagem, essa inciativa deve acontecer todo ano nas semanas que antecedem o Dia das Mães e o Natal.

Achei ótimo. E melhor ainda porque esta é a Vara que me atende.

Mas aí veio a segunda parte da reportagem. Falando sobre o cenário atual da adoção no Brasil. Aquilo que já sabemos, né? O perfil das crianças reais é diferente do perfil preferido pelos pretendentes.

“Números tão discrepantes assim revelam uma triste realidade: a maioria das famílias querem crianças pequenas, de preferência ainda bebês, brancas e de olhos azuis. Está discrepância entre oferta e procura esbarra em um detalhe constrangedor e que o magistrado chama de “perfil de preferência”.” Trecho retirado da matéria

Gente! Eu estou tão cansada de responsabilizarem nós – pretendentes à adoção – pela existência absurda dessas crianças que vivem acolhidas.

Não me entendam mal, eu acho que isso deve ser discutido, mas não só entre nós, entre toda a sociedade. As pessoas precisam saber disso! Saber da realidade de nossas crianças, não apenas das mais de 5 mil que aguardam um pretendente com condições – seja financeira ou emocional – de fazer uma adoção tardia, ou especial ou de grupos de irmãos. Mas das 45 mil crianças e adolescentes que vivem nos abrigos, mas NÃO estão disponíveis para adoção. Estão fadados a passar a vida sem família – nem a biológica e nem a adotiva. Nós não podemos carregar o peso dessa responsabilidade.

Cadê as políticas públicas para mudar este cenário? Eu não as vejo. Tampouco vejo político algum com projetos para mudar essa realidade.  Os próprios profissionais envolvidos continuam tentando e tentando reinserir as crianças na família biológica, porque também acham que família adotiva é SUBSTITUTA, é inferior.

O resultado disso é que as crianças vão ficando mais velhas, talvez o número de irmãos cresça e nós é que somos os culpados por não acolhê-los.

Parem! Adoção não é caridade! A culpa não é nossa!

Se alguém quiser ler na íntegra a matéria, é só clicar aqui.

Abraços e até mais.

 

Anúncios

6 comentários em “A culpa não é nossa

  1. Eu havia lido essa matéria e pensei a mesma coisa. A culpa é sempre da gente que escolhe um perfil “fora da realidade”. A culpa nunca é do processo de destituição que é demorado, nunca é do fato dos juízes insistirem tanto na permanência da criança na família de sangue, a culpa é sempre nossa. Fora as comarcas onde existe equipe técnica, juízes que são contra adoção e fazem corpo mole nos processos. Sim, isso existe, e é ridículo existir. Enfim. Seguimos sendo as únicas culpadas.

    Curtido por 2 pessoas

    1. É verdade. Pelo menos aqui no Rio parece que eles dão mais importância para adoção do que em outros lugares do Brasil. Já ouvi cada relato do tempo de espera que é lamentável. Eles não tratam os futuros pais adotivos com o devido respeito.
      Neste ponto, não tenho o que reclamar. A equipe técnica tem sido maravilhosa conosco.
      Abraços e obrigada por acompanhar o blog.

      Curtir

  2. Nossa super concordo com vc!! Sem falar das pessoas que fazem esse tipo de comentário… Mas acho absurdo colocarem olhos azuis! sendo que já li que o maioria da lista desejam bebes indiferente de cor. Então acho essas matérias ridículas! Uma criança loira de olho azul de 8 anos ou um recém nascido… Quem tem mais chance de adoção? Sabemos que a questão de idade é o maior fator, esses jornalistas burros adoram falar da cor e tal, fico com raiva até… 74% da lista coloca indiferente de raça. Pq eles se focam tanto nos 26%???
    E não é culpa de forma alguma de quem está na lista. Ai nem aguento mais ler matérias assim…

    Curtido por 1 pessoa

    1. É verdade… e essa história da cor dos olhos é só pra dramatizar, porque nem dá pra escolher.
      É só olhar os números pra perceber que a idade é que restringe mais…
      Obrigada por acompanhar o blog!
      Abraços!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s